sábado, março 25, 2006

Delicioso

Para se avaliar do grau de civilização da nossa cozinha, basta dizer que considerando os alimentos crus, tal como os ingerem os selvagens bestiais da Polinésia, e algumas espécies de índios da América do Sul, como primeiro estádio duma escala destinada a indicar a cultura do homem, sob o ponto de vista da alimentação, nós estávamos há dois séculos já na idade dos guisados, enquanto o grosseiro inglês permanece ainda nas carnes sangrentas, reminiscência dos períodos antropófagos, e o ardiloso francês nas massas e picados, isto é, nos jantares em pílulas, cujo último resultado é nada menos que a supressão do paladar.
FIALHO D'ALMEIDA

3 Comments:

Blogger FSantos said...

Gosto muito de Fialho, apesar de por vezes ser de uma crueldade impressionante. E foi mais um dos críticos da Monarquia que pouco depois do 5 de Outubro já tinha enormes saudades do regime deposto.

10:01 da manhã  
Blogger Eurico de Barros said...

Grande Fialho! Era dos poucos que conseguia pedir meças ao Eça, literaria e intelectualmente. Destes já não há - e há muito tempo.

6:37 da tarde  
Blogger JSM said...

Percebo de cozinha sentado na sala de jantar. Ainda há esta divisão da casa?
Mas não concordo com o Fialho quanto â cozinha francesa: trata-se de tirar partido do que não existe, assegurando ainda assim um bom paladar.
Fui criado com empadões e souflets,para poupar carne e peixe.
Tempos difíceis.
Mas não me fez mal, penso eu de que!
Um abraço.

1:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home