quarta-feira, setembro 27, 2006

Sínteses (série dedicada ao Corcunda...)

1.ª — Expressionismo/Nacional-Socialismo:

Chega a haver, é verdade, no seio do partido nazi, uma tentativa de «recuperar» a arte moderna. Objectivo: fundir o expressionismo e o nacional-socialismo. Tal acontecera com o futurismo e o fascismo. É o caso das tentativas de dirigentes partidários como Otto-Andreas Schreiber e os jornalistas de órgãos como «Kunst dar Nation» e «Kunstkammer», na linha de Gottfried Benn, autor de um livro de ensaios, Arte e Poder, de 1934, que vai ao ponto de elogiar o Expressionismo de Marinetti. Esse grupo tenta o apoio de Goebbels. Goebbels, de início, consente. [...] Estala o conflito entre Rosenberg e Goebbels. Hitler intervém a favor de Rosenberg. E os quadros dos modernos Barlach e Nolde desaparecem das paredes de Goebbels.
Artur Portela, Salazarismo e Artes Plásticas, Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, Colecção Biblioteca Breve, n.º68, Lisboa, 1987 (2.ª Edição).

1 Comments:

Blogger R2K said...

: )

2:56 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home